domingo, 6 de fevereiro de 2011

Eu, morto (visão impossível/pré-visão profanadora)

"Vampyr" (1932) de Carl Th. Dreyer

"Self Portrait as Being Dead" (1987) de Duane Michals

Nada de muito novo, mas importa contextualizar: abro com este tópico uma rubrica (foto-síntese) dedicada a convocar num mesmo espaço as imagens do cinema e as imagens da fotografia, isto é, e por isso não é "muito novo", desapossar a fotografia e o cinema, tal como tradicionalmente entendidos, das suas imagens. Procurarei, aqui, entender a história do cinema como a história, lato sensu, das visões de "o fotográfico e o cinematográfico", que encontramos em obras de fotógrafos e cineastas, em dispositivos tipicamente fotográficos ou tipicamente cinematográficos. Ou não eram os Lumière também, e antes de tudo, fotógrafos?

2 comentários:

Sabrina D. Marques disse...

Gosto da ideia da rúbrica foto-síntese!

http://www.youtube.com/watch?v=q1Xv01ZcLBk&feature=related

Luís Mendonça disse...

Ah, claro os grandes "Mutantes", claro... óptimo exemplo!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...