segunda-feira, 27 de setembro de 2010

A arquitectura de um gag ou o gag arquitectónico

"Playtime" (1967) de Jacques Tati

"O Tempo que Resta" (2009) de Elia Suleiman

(Peço desculpa pela má qualidade dos stills, mas não encontrei melhor - e procurei muito. De qualquer modo, cá estão dois genialíssimos cineastas a rimar com os seus gags visuais, explorando a configuração dos espaços e edifícios. Já agora, um - senão o - dos melhores planos do ano: a sequência, num único plano, do hospital em "O Tempo que Resta" - que gostava de ter encontrado na net, mas ainda não encontrei...)

5 comentários:

Rui Luís Lima disse...

Só vi o filme do Jacques Tati, na verdade genial.
Abraço cinéfilo
Rui Luís Lima

Sabrina Marques. disse...

- TOUT VA BIEN (Godard / Gorin 1972) http://cinemasparagus.blogspot.com/2009/02/apres-les-greves-avant-la-lutte.html

- NOISES OFF (Bogdanovich 1992)
http://www.imdb.com/title/tt0105017/

Luís Mendonça disse...

Muito interessante mesmo esses posts.

Mas não percebi a ligação Bogdanovich - é que eu não vi o filme. É bom?

Sabrina Marques. disse...

- Este filme do Bogdanovich exemplifica verdadeiramente o uso narrativo do espaço e da arquitectura, consoante o estabelecimento que enuncias desses gags visuais que tiram proveito do cenário, uma vez que se trata de uma comédia que vive permanentemente dos acontecimentos atrás e à frente de um palco, durante um ciclo de exibições de uma peça de teatro.

- (De facto. Os posts do Craig Keller merecem sempre toda a atenção.)

Luís Mendonça disse...

Parece muita bom esse do Bogdanovich. Confesso que não conheço. Obrigado!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...