segunda-feira, 15 de agosto de 2011

História de amor e saúde (existencial e profissional)

Lars von Trier, "Antichrist" (2009)

Não era a diferença de idades - cerca de dez anos -, o problema era aquilo a que se poderá chamar diferença de saúdes. Theodor, sendo médico, mais do que saudável (homem robusto e repleto de energia) era ainda alguém que exigia a saúde ao seu lado, quer profissionalmente - era essa, aliás, a sua missão: o médico exige saúde aos seus pacientes, impõe-na mesmo, através de medicamentos, operações, etc. - quer existencialmente, se assim se pode dizer. Ele queria - desejava - a saúde ao seu lado, à volta, encostada a ele.

Gonçalo M. Tavares, Jerusalém (2004) - obra inserida na série O Reino -, Caminho, 2008, p. 57

2 comentários:

Ricardo Vieira Lisboa disse...

acabei de ler este livro do M. Tavares faz menos de um mes.

Mas a associacao ao antichrist e deliciosa

Luís Mendonça disse...

Thanks!

Será que é possível ir mais longe na analogia M. Tavares/Trier?, fica a pergunta, talvez, sem sentido!

Abraço,

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...